Novas esperanças para a educação

Ministro “por mérito” e secretários da educação por escolhas técnicas acima das políticas dão sinais positivos para a educação brasileira

Por Arnaldo V. Carvalho

“Ninguém liberta ninguém. Ninguém se liberta sozinho. Os homens se libertam em comunhão”. Com essas palavras de Paulo Freire, tomou posse o político Camilo Santana, nome que ao longo de sua trajetória, foi sendo associado ao destaque que o do Estado do Ceará foi construindo em torno dos índices da educação (Santana é sucessor de Ciro e Cid Gomes). Embora eu pessoalmente siga temeroso tanto das “privatizações educacionais” à moda do Chile, como preferia um ministro sem história político-partidária mas uma história na educação brasileira, não nego que, ao menos, concordo com boa parte do que declarou serem suas prioridades a frente do Ministério da Educação (veja aqui). Então é isso, temos alguém que ao menos, de fato andou envolvido pelo menos nos últimos oito anos com o tema e sabe da realidade da educação no país. Suas escolhas para os órgãos da educação, inclusive, me parecem interessantes, baseadas mais pelos méritos técnicos na área do que por mera indicação política. Isso traz enorme alento.

Trago aqui o descritivo do MEC quanto aos nomes da nova composição ministerial:

Izolda Cela: Secretaria-Executiva do MEC

Mestre em Gestão e Avaliação da Educação Pública pela Universidade Federal de Juiz de Fora; tem especialização em Gestão Pública pela Universidade Estadual Vale do Acaraú; é graduada em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará e já atuou como: governadora e vice-governadora do estado do Ceará; secretária de Educação do Ceará; secretária de Educação do município de Sobral, no Ceará; secretária adjunta de Educação; diretora e psicóloga do Centro de Educação Básica Escola Arco-Íris; e é professora da Universidade Regional do Cariri, no Ceará.

Katia Schweickardt: Secretaria de Educação Básica

Doutora em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; mestre em Sociedade e Cultura na Amazônia pela Universidade Federal do Amazonas; graduada em Economia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Amazonas; servidora do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) () e já atuou como: coordenadora-geral do Centro Estadual de Unidade de Conservação do estado do Amazonas; secretária municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Manaus e secretária municipal de Educação de Manaus; é professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Amazonas e foi agraciada com o prêmio ‘Espírito Público 2020’, destaque na categoria educação, pela sua trajetória na área de educação de Manaus.

Denise Carvalho: Secretaria de Educação Superior

Reitora da Universidade Federal do Rio de Janeiro; membro da Academia Brasileira de Ciências e da Academia de Medicina do Rio de Janeiro; vice-presidente Regional da Organização Interamericana para a Educação Superior; vice-presidente da Conferência Regional de Reitores das Universidades Latino-Americanas; professora titular do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro; livre-docente de Fisiologia e Biofísica pela Universidade de São Paulo; pesquisadora 1ª do CNPq; médica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; e possui mestrado em Ciências Biológicas e Biofísica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Helena Sampaio: Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior

Professora livre-docente da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas; doutora em Ciência Política pela Universidade de São Paulo; tem estágio de pós-doutorado na França; mestre em Antropologia Social; pesquisadora produtividade do CNPq desde 2015; membro fundadora do Laboratório de Estudos de Educação Superior da Universidade Estadual de Campinas; editora-chefe da Revista Pro-Posições; membro do conselho editorial da Editora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas; Membro do conselho do RUF (Ranking Universitário da Folha).

Getúlio Marques: Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

Professor, engenheiro, especialista em Engenharia de Sistemas e Mestre em Engenharia da Produção; diretor de ensino e diretor-geral do Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do Norte, atual Instituto Federal do Rio Grande do Norte; diretor do Núcleo de Processamento de Dados da Universidade Federal do Rio Grande do Norte; já trabalhou no Ministério da Educação e foi coordenador de Planejamento Orçamento e Gestão, também já foi diretor da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e secretário adjunto da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do MEC; coordenou o processo de concepção, criação e expansão dos Institutos Federais e já atuou como secretário de Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer do Rio Grande do Norte.

Zara Figueiredo: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização de Jovens e Adultos, Diversidade e Inclusão

Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo, com bolsa de estágio de doutoramento na Inglaterra na Escola de Educação da Universidade de Bristol; tem pós-doutorado no Centro de Estudos da Metrópole do Departamento de Ciências Políticas da Universidade de São Paulo; mestre em Letras pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; graduação em Letras pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; docente da educação básica pública por 21 anos, atuando no Vale do Jequitinhonha, na rede estadual de Minas Gerais; professora do Departamento de Educação, da Universidade Federal do Ouro Preto.

Maurício Holanda: Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará; foi professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará; especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Ministério do Planejamento; foi secretário municipal de Educação de Sobral; também atuou como secretário e secretário adjunto de Educação do Ceará; é consultor Legislativo da Câmara dos Deputados.

Fernanda Pacobahyba: Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)

Doutora em Direito Tributário pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; mestre em Direito Constitucional pela Universidade de Fortaleza; tem MBA em Gestão Pública pelo INSPER; especialista em Direito Tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET); tem graduação em Direito pela Universidade Federal do Pará e em Administração pela Academia da Força Aérea; foi auditora Fiscal Jurídica da Receita Estadual do Estado do Ceará; também atuou como secretária da Fazenda do Governo do Estado do Ceará e é professora dos cursos de pós-graduação da Universidade de Fortaleza e do IBET.

Mercedes Bustamante: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes)

Professora titular da Universidade de Brasília; possui Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro; mestrado em Ciências Agrárias pela Universidade Federal de Viçosa; doutorado em Geobotânica da Universidade de Trier, na Alemanha; foi coordenadora do programa de pós-graduação em Ecologia da Universidade de Brasília; atuou também como membro de comitês científicos internacionais; foi coordenadora-geral de Gestão de Ecossistemas e Diretora de Políticas e Programas Temáticos no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; exerceu o cargo de diretora de Programas Brasileiros e Bolsas de Estudo da Coordenação de Desenvolvimento de Pessoal da Capes; membro do Conselho Superior da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal e do Conselho de Administração do Instituto Serrapilheira; eleita membro da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Mundial de Ciências.

Márcia Ângela: Fundação Joaquim Nabuco

Doutora em educação pela Universidade de São Paulo; professora titular do Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco; foi professora de Educação Básica; também atuou como diretora de Planejamento da Secretaria de Educação de Pernambuco e diretora do Departamento de Educação da Universidade Católica de Pernambuco; exerceu o cargo de presidenta da Associação Nacional de Pós-graduação em Educação, da Associação Nacional de Política e Administração da Educação, da Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação e do Conselho Municipal de Educação de Recife; foi conselheira da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação.

Manuel Palácios: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)

Foi professor e diretor da Faculdade de Educação e Pró-Reitor de Planejamento e Gestão da Universidade Federal de Juiz de Fora; pesquisador do Centro de Professor do Programa de Pós-Graduação Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública da Universidade Federal de Juiz de Fora; doutor em Ciências Sociais pelo Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro; é graduado em Engenharia de Comunicações pelo Instituto Militar de Engenharia; foi secretário de Educação Básica do Ministério da Educação entre 2015 e 2016; exerceu o cargo de diretor de Políticas da Educação Superior, diretor de Desenvolvimento da Educação Superior e secretário interino da Secretaria de Educação Superior do MEC; criador do Laboratório de Avaliação e Medidas Educacionais da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora; fundador e primeiro coordenador do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação Universidade Federal de Juiz de Fora.

FONTE: MEC, Carta Capital, O Globo (aqui e aqui).

Publicidade

Sobre Arnaldo

Arnaldo, pai, terapeuta, escritor, educador, ser humano. Visite meu site e saiba mais sobre mim!
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s