Ludus Magisterium: minha dissertação de mestrado disponível a todos

Defendida em 3 de março deste ano (2022), meu trabalho de mestrado, sobre a rede de aprendizagem docente Ludus Magisterium (pessoas que estudam jogos de tabuleiro na educação), agora está disponível em sua versão oficial (com a normatização exigida pela UERJ) na Biblioteca de Teses e Dissertações daquela instituição.

O link é: https://www.bdtd.uerj.br:8443/handle/1/18159.

No entanto, eu pessoalmente prefiro minha própria diagramação. Em minha opinião, a normatização trouxe alguns prejuízos a leitura. Assim, disponibilizo a “versão do autor” diretamente em minha página do Academia.edu, para quem quiser: https://www.academia.edu/84244597/Ludus_Magisterium_uma_rede_de_aprendizagem_em_torno_dos_jogos_de_tabuleiro_na_educa%C3%A7%C3%A3o_DISSERTA%C3%87%C3%83O_DE_MESTRADO

O resumo da mesma segue abaixo.

O panorama contemporâneo dos jogos de tabuleiro, especialmente composto por aqueles desenvolvidos a partir da entrada do século XXI, vêm atraindo um número crescente de educadores. Nos últimos anos, formaram-se redes que passaram a articular discussões e iniciativas, desenvolvendo os saberes docentes acerca da natureza e do uso pedagógico deste tipo de jogo. Dentre essas redes, a Ludus Magisterium, criada por educadores do Rio de Janeiro, reuniu mais de uma centena de participantes em seu ano de formação (2019); seu grupo de whatsapp lhes serviu de campo de intercâmbio e suporte teórico, e ponto de articulação dos encontros presenciais promovidos pela rede. Através da análise das conversas com e entre seus membros, a presente dissertação buscou compreender a natureza de sua rede, e como os aqui chamados “educadores do tabuleiro” vivenciam o cotidiano, e a ele integram o jogo como estratégia pedagógica. A pesquisa perseguiu objetivos específicos incluindo: observar como os professores da Ludus Magisterium constroem suas expertises em ensinar através de jogos; como encontram seus pares e interagem, e quais seriam os frutos de tais interações; e qual a identidade sociopolítica das ações de quem utiliza os jogos de tabuleiro em educação. O trabalho considera suportes teóricos de distintas áreas de conhecimento, como a ludologia, a educação e a sociologia, utiliza a conversa e a prosopografia para constituir de um lado uma análise interpretativa do material construído com os sujeitos, e de outros, um perfil de coletivo da rede. Como resultado, foi percebido, dentre diversos outros elementos interpretativos, que a rede pesquisada no período de recorte apresentava um viés interdisciplinar, e era composto, em sua maioria, por pesquisadores e profissionais da educação, interessados no intercâmbio de conhecimentos e práticas educacionais sobre/com jogos de tabuleiro. Os sujeitos da rede também estiveram sensíveis às circunstâncias sociais vividas por um ou por todos – o que expandiu a identidade coletiva dos participantes da rede.

Tela da BDTD UERJ, onde a versão oficial (que não é a melhor em minha opinião) pode ser baixada.

Sobre Arnaldo

Arnaldo, pai, terapeuta, escritor, educador, ser humano. Visite meu site e saiba mais sobre mim!
Esse post foi publicado em Indicações, Jogos na educação, Métodos e Autores e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s