Manifestações de professores e a polícia

https://i2.wp.com/ejesa.statig.com.br/bancodeimagens/f1/w0/fb/f1w0fb3iqjcb2grt6ghv6il7w.jpg

“A gente vê nas ruas estes confrontos entre policiais e manifestantes, como se os policiais estivessem no campo oposto dos manifestantes, quando na verdade a reivindicação dos professores é pra melhoria da educação que o filho do policial está precisando.

Os policiais, ao verem os professores se manifestando pela melhoria da educação, deveriam ser simpáticos aos professores, porque aquilo diz respeito a possibilidade de uma melhor qualidade de vida pros seus próprios filhos. Quantos filhos de policiais, principalmente praças, policiais militares, não estudam em colégios públicos? Uma boa parte.

Mas aí você vai criando ambientes de confronto, e a militarização da segurança pública construindo o inimigo faz isso, faz com que o policial ache mesmo que está na luta do bem contra o mal, que quem tá do outro lado, o inimigo, seja ele o black bloc, o sindicato ou o traficante de drogas, tem sempre um inimigo que é construído e tem que ser combatido. E essa luta é a que ele é chamado a fazer por um ideal, que ele nem sabe qual é. Então você vai esvaziando a política, vai sacralizando a vida, essa coisa de bem e mal, E vai colocando os policiais numa situação de brutalização. Os policiais são brutalizados. Uma morte de um policial hoje tem o mesmo valor de uma morte de um traficante, e acho interessante quando os policiais menosprezam o debate sobre a vida dos traficantes, por que a vida deles é colocada num patamar igual, e nego não se toca. Nego não fala assim: “Caramba meu irmão, estamos no mesmo problema.” Porque é mais um que sai ali, que morreu.

Acho que a policia ainda não enxergou como ela é uma peça manipulada pelo poder político para manter o status quo, um modelo econômico, que muitas vezes – muitas vezes não, que com certeza – ele é agressivo em relação aos próprios policiais, a ponto deles terem que reprimir manifestação de professores pedindo por um melhor ensino público do qual os filhos deste mesmo policial participa.

Então é uma doideira, muito louco.”

É muita doideira mesmo Zaccone. Valeu. Arnaldo

Trecho de entrevista concedida pelo Delegado de polícia Orlando Zaccone

Anúncios

Sobre Arnaldo

Arnaldo, pai, terapeuta, ser humano. Visite meu site e saiba mais sobre mim!
Esse post foi publicado em Desafios da Graduação, Educação e Política, Pensamentos e Frases e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s